Sistema Único de Saúde expande cobertura de pacientes com diabetes

Doença afeta milhões de brasileiros e é considerada um dos principais fatores de risco às formas graves da Covid-19. Com nova medida, jovens até 19 anos e adultos acima de 50 anos também terão acesso ao dispositivo, que pode levar ao melhor controle do diabetes

O Brasil conta mais de 13 milhões de brasileiros vivendo com diabetes. Deste total, estima-se que 7% dependam do uso rotineiro de insulina como forma de tratamento e controle da doença.1 Considerada um dos dispositivos mais modernos para o tratamento da doença, a caneta preenchida de insulina é uma importante aliada no controle da glicemia, reduzindo episódios de hipoglicemia e possíveis hospitalizações decorrentes desta complicação.2,3,4

A tecnologia, disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), em todo o Brasil, desde 2019, agora atenderá uma maior parcela da população brasileira. Pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2, preferencialmente acima de 50 anos e menores de 19 anos, faixa etária recentemente atualizada pelo Ministério da Saúde, passam a ter acesso a este benefício. De acordo com estimativas da pasta, esta mudança resultará na cobertura de cerca de 50% das pessoas que dependem da insulina diariamente6. Anteriormente, o público que tinha acesso à caneta de insulina era de pessoas de até 16 anos e acima de 60.

Diferente das aplicações feitas com seringas, em que se retira a insulina de frascos-ampola, a caneta preenchida de insulina é utilizada com agulha mais fina e curta, causando menos desconforto na aplicação, e já vem preenchida com insulina e dosador, o que garante maior precisão, oferecendo menor risco de erro na aplicação. Além disso, pode ser transportada com facilidade e manuseada com praticidade pelas pessoas com diabetes, seus cuidadores e familiares.5

“Estamos em um momento difícil da história do mundo. O fato deste recurso de tratamento e controle do diabetes estar disponível para uma fatia ainda maior da população brasileira, durante a pandemia de COVID 19 se torna ainda mais importante pois é um grande aliado na busca do controle glicêmico adequado. Quando os valores da glicemia estão controlados o risco para a gravidade de uma infecção por COVID 19 é minimizado., explica a endocrinologista e diretora médica da empresa global de saúde Novo Nordisk, Priscilla Olim Mattar.

A utilização das canetas preenchidas de insulina ajuda a melhorar a qualidade de vida de pessoas com diabetes e a reduzir as emergências hospitalares, de acordo com diversos estudos nacionais e internacionais.9,10 Por exemplo, 90% dos usuários de caneta afirmam precisar de menos assistência para aplicar a insulina, enquanto 64% das pessoas com diabetes que adotaram a caneta apresentaram menos episódios de hipoglicemia. 11,12 Já um estudo entre médicos dos Estados Unidos mostrou que 97% deles acreditam que a aplicação de insulina com a caneta é melhor que o uso de frascos, seringas e ampolas.13 E na Itália, Estados Unidos e Irlanda a maior parte das pessoas com diabetes consideram as canetas mais discretas, mais rápidas e fáceis de usar. 14,15

Diabetes em tempos de Covid-19

No mundo, o Brasil ocupa o 5º lugar entre os países com maior número de pessoas com diabetes. E, se nada for feito, essa tendência não deve melhorar até 2045.9 Complicações decorrentes do diabetes também estão entre as principais causas de morte no Brasil . 9

A pandemia do novo coronavírus desponta no cenário como preocupação extra. Já se sabe que pessoas vivendo com diabetes não estão mais suscetíveis a se contaminar se tomarem os cuidados recomendados pelas autoridades de saúde.7 No entanto, estando no grupo de risco, elas são sim mais susceptíveis a desenvolver as formas mais graves da doença.7Um tratamento que propicie um adequado controle da glicemia minimiza, por consequência, emergências médicas relacionadas ao descontrole glicêmico, neste momento tão delicado da história mundial.7

Campanha Caneta da Saúde

É pensando nesses pacientes e em suas famílias, e no complexo contexto da pandemia, que surge a campanha “Caneta da Saúde”, uma iniciativa de saúde pública e fruto da soma dos esforços e da parceria entre a Associação de Diabetes Juvenil (ADJ), Associação Nacional de Atenção ao Diabetes (ANAD) e da empresa global de saúde Novo Nordisk, além de contar com o apoio, da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS). O objetivo é informar e educar a população sobre as vantagens das canetas preenchidas de insulina, estimulando a utilização do dispositivo. Além, é claro, de engajar e orientar os profissionais de saúde que atuam no tratamento e acompanhamento do diabetes, como médicos, enfermeiros, agentes comunitários e farmacêuticos.

“O diabetes não é uma condição individual. Trata-se de algo presente na vida de milhões de famílias. Neste novo cenário delicado de pandemia, há pessoas que estão no grupo de risco e podem desenvolver as formas mais graves da doença”, ressalta Olim Mattar. “A campanha ‘Caneta da Saúde’ chega nesse contexto. É uma maneira de ajudar a manter a saúde em dia dessas pessoas que já sofrem com uma doença crônica. Tudo que precisamos evitar são episódios de hiper ou hipoglicemia, que podem levar o paciente para o pronto-socorro, o que pode expô-lo a riscos adicionais durante a pandemia”, destaca.

Por se tratar de uma iniciativa de utilidade pública, a campanha “Caneta da Saúde” tem abrangência nacional e contará com diversas iniciativas nos ambientes digital e presencial. No site http://www.canetadasaude.com.br, dedicado à campanha, a população encontrará informações e orientações sobre o diabetes, o uso de insulina, as vantagens e benefícios da utilização da caneta preenchida de insulina disponível no SUS, além de um conteúdo que desmistifica inúmeras “fake news” sobre a doença e seu tratamento. Há também uma área destinada aos profissionais da saúde, com um exclusivo e-book e orientações técnicas sobre a utilização das canetas preenchidas de insulina.

Começando no dia 24, e de acordo com as regras estaduais e municipais em função da pandemia da Covid-19, durante três meses, um caminhão circulará pelos estados de São Paulo, Bahia, Minas Gerais, Paraná e Paraíba, distribuindo kits de orientação e esclarecendo dúvidas da população em frente a algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS) dessas cidades. Já no ambiente digital, a campanha contará com muito conteúdo no Facebook e Instagram , além de ação especial com influenciadores digitais e celebridades que vivem com diabetes ou têm algum familiar com a doença. A campanha também conta com um filme especial que explica os benefícios da “Caneta da Saúde”, que será veiculado nas principais redes de TV.

Fonte: Campanha Caneta da Saúde / Foto ilustrativa: Pexels

Comentários estão fechados