Programa Saúde Integral do Hospital Alemão Oswaldo Cruz reduz em mais de 40% os níveis de tabagismo e hipertensão entre colaboradores da Instituição

Iniciativa, que recebeu o maior prêmio em saúde e bem-estar populacional, também constatou queda de 19% nos níveis de estresse dos profissionais

O Programa Saúde Integral do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, focado na atenção à saúde do colaborador e seus dependentes registrou queda nos níveis de fatores de riscos da saúde entre os profissionais da Instituição do nos últimos dez anos. Tabagismo e hipertensão, por exemplo, foram reduzidos em 43% e 42% respectivamente, enquanto a dislipidemia (elevação do colesterol ou gordura no sangue) teve queda expressiva de 46%. O estresse também foi reduzido em 19%.

Segundo o Dr. Leonardo Piovesan, Gerente Médico do Saúde Integral, os indicadores positivos refletem a gestão do cuidado de forma integrada, realizada por uma equipe multidisciplinar, composta por médico de família, enfermeiros, psicólogos e nutricionistas.

“A evolução na saúde dos nossos colaboradores demostra que o caminho é atenção primária como coordenadora do cuidado. Nesse formato cerca de 90% dos casos são conduzidos pelo médico da família. E essa alta taxa de resolução da atenção primária evita que o paciente passe por vários médicos e faça exames repetidos, não onera o sistema como um todo resulta e, o mais importante: permite um melhor cuidado paciente”, explica.

Outros dados comprovam o sucesso e adesão do Saúde Integral, mesmo em ano de pandemia, cerca de 86% dos colaboradores fizeram o exame médico periódico em 2020, e 95% das colaboradoras gestantes participaram do Gerar, núcleo que oferece atendimento multidisciplinar e que auxilia no autocuidado durante todo o processo de gestação.

Para assegurar o monitoramento em tempo real desses indicadores o Programa conta com a plataforma Sabes®, um banco de dados onde são registrados os hábitos de vida, histórico médico que auxiliam ao médico a conhecer melhor cada indivíduo e definir um plano de cuidado adequado ao seu perfil e sua necessidade. Atualmente, 12.500 vidas, entre colaboradores do Hospital e de outras empresas parceiras são monitoradas pelo Saúde Integral.

De acordo com o Dr. Leonardo, os atendimentos do Saúde Integral cresceram durante a pandemia. O número de teleconsultas aumentou em 300% entre março e abril de 2020. No cenário atual, 25% das consultas são realizadas por meio de telemedicina, sendo 90% destes atendimentos de psicologia, nutrição e assistência social. No formato presencial são realizadas 75% dos atendimentos, como exames médicos ocupacionais, fisioterapia, entre outros. Antes da pandemia, apenas 1% das consultas eram feitas por telemedicina.

Saúde Mental dos colaboradores

No âmbito da saúde mental, o Programa Saúde Integral também registrou redução de 19% nos níveis de estresse entre seus colaboradores. No último ano, foram 644 atendimentos em psicologia, 572 atendimentos de psiquiatria e 122 de coaching para gerenciamento do estresse, com adesão de 30% da comunidade do Hospital. O programa conta com um núcleo dedicado ao mapeamento de sintomas de cansaço, depressão e ansiedade a fim de prevenir a piora do quadro clínico e de acolher os colaboradores em estado de sofrimento que precisam de apoio dentro da Instituição.

Para desconstruir o tabu que rodeia o assunto, sensibilizar e esclarecer sobre os sintomas e consequências dos principais transtornos psicológicos como o estresse, a ansiedade e a depressão, assim como dependência química e burnout, os colaboradores recebem, periodicamente, materiais didáticos e de conscientização pelo celular e por canais institucionais. Para auxiliar no diagnóstico e no acompanhamento individual, a cada seis meses é enviado para todos os colaboradores um questionário digital para preenchimento, que são sigilosos, com o uso de instrumentos validados cientificamente, para realizar o mapeamento populacional. Ao término da pesquisa, o colaborador é encaminhado para o tratamento de acordo com seu diagnóstico. A iniciativa também conta com atuação da psicologia em áreas mapeadas como críticas, com a finalidade de acolher a equipe e desenvolver habilidades antiestresse, como a resiliência, além de incluir neste processo a participação da liderança.

Para Piovesan, saúde mental é, hoje, segundo a OMS, a segunda maior causa de afastamentos entre colaboradores no mundo todo, perdendo apenas para os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). “Por conta do atual momento, acredita-se que os profissionais da linha de frente da Covid-19 são os mais acometidos por doenças psíquicas ou os mais sobrecarregados. Porém, muitos profissionais estão tendo dificuldades em lidar com a dupla jornada, cuidado da casa, família e filhos, além do acúmulo de reuniões”, pondera o médico.

“O Saúde Integral já contava com atendimento psicológico, mas diante dos números de casos crescendo no mundo todo, criamos um atendimento exclusivo para tratamento de doenças mentais, para assegurar que os colaboradores do Hospital tenham uma vida mais equilibrada e saudável. Partimos da premissa de que quem é bem cuidado cuida melhor. Por isso, também ampliamos as iniciativas de acolhimento e prevenção”, complementa.

Empresas

Reconhecido internacionalmente pelo Global Centre for Healthy Workplace e pelo Prêmio Nacional Qualidade de Vida (PNQV) em 2017 e 2012, respectivamente, e que alçou a Instituição ao Melhores Empresas Gestão Saudável 2021 do Great Place to Work, o Saúde Integral está disponível para empresas que necessitam de apoio para realizar a gestão de seus colaboradores. A consultoria é customizada conforme as necessidades e características de cada organização, abordando pontos como a orientação e adequação das medidas sanitárias para a retomada de serviços presenciais, a implementação do cuidado na atenção primária com equipe de enfermeiros, psicólogos e médico da família, o diagnóstico, tratamento e monitoramento da saúde dos profissionais.

De acordo com o gerente médico do Saúde Integral focar na atenção básica e levá-la para dentro das empresas traz a oportunidade de obter um cuidado integral do colaborador, tendo um médico da família como referência, com um olhar mais amplo. “Essas parcerias ampliam o conhecimento sobre a importância da atenção primária, na coordenação do cuidado, e que entrega um melhor resultado em saúde”, declara.

Sobre o Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Fundado em 1897 por um grupo de imigrantes de língua alemã, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz é um dos maiores centros hospitalares da América Latina. Com 124 anos de atuação, a Instituição é referência em serviços de alta complexidade e ênfase em Oncologia e Aparelho Digestivo. Para que os pacientes tenham acesso aos mais altos padrões de qualidade e de segurança no atendimento, atestados pela certificação da Joint Commission International (JCI) – principal agência mundial de acreditação em saúde -, o Hospital conta com um corpo clínico renomado, formado por mais de 4,5 mil médicos cadastrados ativos, e uma das mais qualificadas assistências do país. Sua capacidade total instalada é de 805 leitos, sendo 582 deles na saúde privada e 223 no âmbito público. Desde 2008, atua também na área pública como um dos seis hospitais de excelência do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS) do Ministério da Saúde.

Por: Conteúdo Comunicação / Foto Ilustrativa: Freepik

Comentários estão fechados