Os efeitos da diabetes na pele

De ressecamento até infecções cutâneas. A médica Dra. Adriana Vilarinho, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia (AAD), explica que a doença pode se manifestar de diversas formas na pele, por isso, os cuidados específicos são essenciais.

“Quando os níveis de glicose (açúcar) no sangue são elevados podem ocorrer danos na pele, por isso que, nos diabéticos, o ressecamento ocorre com muita frequência. O corpo reage tentando eliminar o excesso de açúcar através da urina e quanto mais vezes a pessoa urinar, mais líquido ela perde, levando à desidratação, e causando – entre outros sintomas – esse ressecamento”, explica.

Ao perder a umidade, a pele fica sujeita a irritações que, em casos graves, podem evoluir para lesões descamativas e até rachaduras.

Para evitar o surgimento ou piora desse desconforto, Dra. Adriana aconselha intensificar os cuidados com a pele nos dias mais frios, atenção com os sistemas de aquecimento que retiram a umidade dos ambientes, evitar exposição a ventos e banhos muitos quentes, além do uso de sabonetes e shampoos neutros, e um bom hidratante corporal, de preferência indicado pelo médico dermatologista. “Tudo isso sem esquecer que o corpo precisa ser hidratado internamente, bebendo muita água”, diz.

Um outro cuidados alertado pela médica é em relação às infecções cutâneas, que ocorrem com mais frequência nos diabéticos por serem mais vulneráveis à bactérias e fungos. “Manter sempre a pele limpa, seca e bem hidratada e observar cuidadosamente toda a pele e ao surgimento de qualquer anormalidade também é regra de ouro para diabéticos, já que, muitas vezes, as lesões como rachaduras são pontos suscetíveis à bactérias que podem causar infecções”, finaliza.

Por: MBC COMUNICAÇÃO / Foto Ilustrativa: Pexels

Comentários estão fechados