Instituto de Pesquisa HCor é pioneiro em análise estatística de estudo multicêntrico mundial

O método de análise aplicado neste estudo evidenciou que os efeitos do medicamento pantoprazol, usado para prevenir o sangramento digestivo em pacientes graves internados em UTI, embora reduza o risco de hemorragia digestiva, pode aumentar o risco para eventos adversos e até óbito 

Imagem: Can Stock Photo

O Instituto de Pesquisa (IP HCor) participou do desenvolvimento de um método de análise estatística com o objetivo de avaliar os efeitos do medicamento pantoprazol quando utilizado para prevenir o sangramento digestivo em pacientes graves internados em UTI. A análise foi feita pelo IP HCor, para o estudo internacional denominado SUP-ICU, que incluiu 3291 pacientes de 33 UTIs da Dinamarca, Finlândia, Holanda, Noruega, Suíça e Reino Unido entre janeiro de 2016 e outubro de 2017.

O método de análise aplicado neste estudo evidenciou que os efeitos do medicamento pantoprazol, usado para prevenir o sangramento digestivo em pacientes graves internados em UTI, embora reduza o risco de hemorragia digestiva, pode aumentar o risco para eventos adversos e até óbito.

De acordo com o médico intensivista e coordenador dos pesquisadores clínicos do IP HCor, Dr. Fernando Zampieri, realizar a análise secundária e reinterpretação do estudo Trial SUP-ICU, realizado pelo IP HCor, foi um grande desafio. Publicado no Intensive Care Medicine, as análises serviram para mensurar e gerar um resultado relevante à comunidade.

“A maior conquista em participar deste estudo multicêntrico internacional foi gerar resultados, que vão auxiliar no manuseio de pacientes graves internados em UTIs, por meio do método inovador de pesquisa aplicado. O resultado nos sugere que precisamos ter cautela quanto ao uso do medicamento pantoprazol em pacientes graves, visto que pode existir uma associação com maior mortalidade neste grupo. A participação neste estudo nos coloca como referência e pioneiros no país em fornecer estatísticas modernas para estudos clínicos internacionais”, esclarece Dr. Fernando Zampieri.

 

Fonte: HCor

Comentários estão fechados