Fumantes têm mais dificuldade em cicatrizar feridas

Empresa brasileira lança produto que acelera o processo de cicatrização da pele, além de amenizar a dor causada pelas lesões de pele

Apesar da queda no número de brasileiros que fumam, o país ainda tem aproximadamente 9% de fumantes na população, segundo dados do Ministério da Saúde. Além dos efeitos nocivos popularmente conhecidos, como propensão ao desenvolvimento de câncer, dificuldades cardíacas, entre outros, um dos pontos de atenção entre médicos e profissionais da saúde é a dificuldade de cicatrização entre aqueles que fumam.

Nestes casos, um produto desenvolvido pela brasileira Vuelo Pharma promete um tratamento mais rápido e eficaz do que os tradicionais produtos para cicatrização.

“Criamos a Membracel para atender a demanda de diabéticos, pessoas que sofrem com úlceras nas pernas, pacientes com queimaduras, pessoas que ficam acamadas, entre outros casos em que a pele precisa ser regenerada. É uma película de celulose produzida por meio de um processo biotecnológico com tecnologia 100% nacional, que resulta em um curativo que substitui temporariamente a pele humana”, informa Thiago Moreschi, sócio-diretor da Vuelo Pharma.

O curativo acelera a cicatrização de feridas superficiais ou profundas e tem ação analgésica, causando alívio imediato à dor. Outro ponto a favor do curativo, que ganhou o nome de Membracel, é a redução da formação de queloides e a diminuição do tempo de internamento hospitalar.

Fonte: Vuelo Pharma Foto ilustrativa: Divulgação

Comentários estão fechados