ESTUDO BRASILEIRO PODE ALTERAR DIRETRIZES INTERNACIONAIS PARA DIAGNÓSTICO DE TUMORES NEUROENDÓCRINOS

ÍndiceUm estudo desenvolvido por médicos do Serviço de Medicina Nuclear do Hospital Sírio-Libanês deve contribuir, em breve, para mudanças nas diretrizes internacionais referentes aos tumores neuroendócrinos. O trabalho pode alterar um ponto-chave na identificação da doença: a definição sobre qual é o exame mais eficaz para o diagnóstico preciso e precoce de lesões primárias e metastáticas dos tumores.

O trabalho avaliou prospectivamente pacientes do Hospital Sírio-Libanês, que foram submetidos a três tipos de exames de imagens que permitem a identificação de tumores neuroendócrinos: Galio-68 DOTATATO PET/CT, Octreoscan SPECT/CT e Ressonância Magnética com difusão de corpo inteiro (DWI-MR). A conclusão foi que o Galio-68 DOTATATO PET/CT e o DWI-MR são muito sensíveis e possibilitam a localização de maior número de lesões primárias e metastáticas quando comparados ao estudo de Octreoscan SPECT/CT. Existem pequenas diferenças entre os estudos de Galio-68 DOTATATO PEP/CT e o DWI-MR, sendo mais sensíveis para detecção precoce de lesões ósseas o PET/CT e para detecção de lesões hepáticas o DWI-MR. Por esta razão ambos os estudos parecem ser complementares na avaliação inicial de pacientes com neoplasia neuroendócrina.

De acordo Elba Etchebehere, médica supervisora do Serviço de Medicina Nuclear e PET/CT do Hospital Sírio-Libanês, e uma das pesquisadoras do estudo, os resultados apresentam uma forma mais completa de se estadiar o paciente com neoplasia neuroendócrina, identificando onde estão as lesões primárias e também se há e onde estão localizadas eventuais  lesões ósseas, linfonodais, pulmonares e hepáticas.“Lesões ósseas podem permanecer ocultas por muito tempo, levando a um pior prognóstico e a tratamentos mais pesados para os pacientes. “Os resultados deste estudo inédito  permitiram o desenvolvimento de algoritmo que sugere iniciar o estadiamento pelo Galio-68 DOTATATO PET/CT e realizar o acompanhamento tanto pelo Galio-68 DOTATATO PET/CT quanto pela DWI-MR, sendo que utilizando se a DWI-MR, existe a vantagem de os pacientes não serem submetidos a radiações” afirma a especialista. DWI-MR é uma aplicação nova na radiologia e restrita a poucos centros médicos no mundo. Seu desenvolvimento no Hospital Sírio-Libanês foi resultado de um esforço do departamento de radiologia liderado pelo médico  Regis Otaviano. Estes  avanços demonstrados só foram possíveis porque o grupo avaliado fazia parte de um centro de referência em diagnóstico e tratamento de câncer. Além disso, os esforços foram feitos de forma multidisciplinar pelos profissionais das áreas de medicina nuclear, oncologia e radiologia.

“Embora seja um estudo pequeno, seu resultado foi considerado um avanço do uso de recursos de imagem para a decisão terapêutica dos pacientes”, comenta Frederico Costa, oncologista clínico do Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês  e coordenador deste estudo.

Comentários estão fechados