Campanha estimula tratamento preventivo de feridas

Smith+Nephew lança Programa Closer to Zero para reduzir incidência de lesões por pressão

A Smith+Nephew, empresa britânica líder em tecnologia médica para restauração corporal com a linha para tratamento de feridas ALLEVYN®, lançou recentemente a campanha Closer to Zero para conscientizar pacientes e profissionais de saúde sobre a prevenção de lesão por pressão (LP) — segmento em que a companhia alcançou a liderança no País —, que se caracteriza por feridas ocasionadas por longos períodos de internação.

Atualmente, os profissionais de saúde têm necessitado dar mais atenção à prevenção das lesões por pressão por conta dos longos períodos de internação causados pela Covid-19, especialmente em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

O objetivo do Programa Closer to Zero, como diz o próprio nome em inglês, é reduzir a incidência de casos para próximo de zero. Trata-se de uma iniciativa inovadora no mercado brasileiro e vem se expandindo de forma consistente pela América Latina.

A lesão por pressão é um dano causado na pele e/ou tecidos moles subjacentes, geralmente sobre uma proeminência óssea ou relacionada ao uso de dispositivo médico ou a outro artefato. A LP, geralmente em forma de ferida, pode se apresentar em pele íntegra ou como úlcera aberta e pode ser dolorosa, e ocorre como resultado da pressão intensa e/ou prolongada em combinação com o cisalhamento.

Na opinião de Bruno Campello Simões, diretor de Negócios da Smith+Nephew para o Brasil, Chile e Cone Sul, embora muitos hospitais já tenham consciência de que prevenir faz muito mais sentido do que tratar, na prática isso não acontecia. “O grande desafio que existe vai muito além do próprio hospital aceitar esse conceito de prevenção e está muito mais ligado às fontes pagadoras, basicamente os planos de saúde”, pontua.

Entretanto, o executivo ressalta que, embora a prevenção seja responsabilidade do hospital, no final das contas, a cadeia toda acaba pagando, do paciente à operadora de medicina.

Simões salienta que um dos principais objetivos do Programa Closer to Zero é fazer com que todo ecossistema entenda esse processo de remuneração dos tratamentos e a principal meta é gerar mais eficiência ao sistema de saúde brasileiro, fazendo com que o pagamento dos prestadores de serviço seja por valor agregado e não pela utilização de produtos.

O foco principal do programa, na visão de Simões, deve ser sempre o paciente. “Se ele conseguiu sair de alta antes do previsto, sem nenhuma lesão, partimos da premissa de que o hospital deva ser remunerado por isso e não pela quantidade de produto utilizado. Esta é a base da nossa jornada de transformar este mercado, tornando-o mais eficiente e eficaz”, argumenta.

Capacitação das equipes

O programa Closer to Zero consiste em uma certificação de práticas clínicas seguras na prevenção de lesão por pressão, que visa fortalecer a cultura de segurança do paciente, contribuindo para o seu bem-estar e redução da incidência dessa patologia, com o fortalecimento de processos e sistemas que visem ações preventivas.

Segundo Bruno Simões, o programa estabelece padrões de excelência com medidas preventivas às lesões por pressão. “O foco principal do Closer to Zero é a educação, na qual é proporcionado o conhecimento técnico e capacitação dos profissionais das instituições de saúde”, detalha.

Como parte fundamental para análise e reconhecimento dos processos de qualidade, a Smith+Nephew estabeleceu parceria com o Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde (Grupo IBES), que será responsável pela avaliação e emissão da certificação.

O Hospital ViValle, de São José dos Campos (SP), integrante da Rede D’Or, foi o primeiro no Brasil a receber a certificação do Programa Closer to Zero de prevenção de casos de lesões por pressão.

Vanderlei Pupim, gerente de Enfermagem do ViValle, destaca que a unidade de saúde busca ser referência em gestão hospitalar e na prestação de serviços médicos com base nos mais elevados padrões técnicos.

Os números do hospital são grandiosos. De acordo com o gerente de Enfermagem, são 93 leitos de internação, 59 de UTI, 13 salas cirúrgicas e 22 de UTI neonatal. O ViValle faz, em média, mais de 20 mil atendimentos médicos e cerca de 15 mil procedimentos cirúrgicos.

Pupim ressalta que o Programa Closer to Zero está alinhado à missão, visão e valores do ViValle, de prestar um atendimento médico-hospitalar com eficácia, com equipes qualificadas, motivadas e respeitando a ética e o indivíduo no todo.

Ele ainda salienta que o Programa Closer to Zero propiciou um movimento empoderamento da Comissão de Cuidados com a Pele (CCP), engajamento da equipe multiprofissional para o fortalecimento de ações de melhoria, implementação de processos sólidos por uma liderança envolvida e influente que criou um ambiente motivador para essa conquista.

Bruno Simões adianta que o Programa Closer to Zero agora parte para unidades maiores da Rede D’Or, como o Copa D’Or, no Rio de Janeiro e Vila Nova Star, em São Paulo. “Ter um parceiro desse porte acreditando no projeto e levando-o para o Brasil inteiro mostra a importância e a seriedade do nosso programa, feito sem nenhum viés comercial”, comemora o diretor de Negócios da Smith+Nephew.

De acordo com o executivo, ao adotar o Programa Closer to Zero, a rede D’Or está abraçando o conceito de prevenção de lesão por pressão, vendo a Smith+Nephew como um parceiro estratégico para disseminar a prática, melhorar o atendimento ao paciente na ponta e tornar o processo todo mais efetivo”, finaliza.

Implantação no setor público

Bruno Simões também adianta que o Programa Closer to Zero dá mais um passo adiante ao firmar acordo com o Hospital de Pronto-Socorro de Porto Alegre (HPS) para implantação do projeto piloto de certificação da primeira unidade de saúde pública do País.

O executivo ressalta que uma das maiores dificuldades de se implantar uma cultura de prevenção no setor público é a burocracia, que faz com que a compra seja feita produto a produto, sendo que, muitas vezes, trata-se de funções e indicações completamente diferentes. “E como é que se consegue fugir disso? Levando informação e conhecimento para os dirigentes dos hospitais públicos, para quem de fato está à frente e mostrar que no médio e longo prazo, o processo vai ajudar a diminuir os gastos da verba pública utilizadas no tratamento das feridas e prestar um serviço de atendimento ao paciente muito melhor”, avalia.

De acordo com Gladis Jung, diretora de Enfermagem do HPS, o hospital já tem uma cultura de lidar com essa patologia, pois mantém uma Comissão de Cuidados com a Pele (CCP) estruturada há mais de vinte anos, motivo que levou a Smith+Nephew a convidar a instituição de saúde a participar do programa.

Segundo Gladis, o HPS é um hospital público de traumas que atende urgências, emergências e por suas próprias características, acaba tendo uma incidência grande de lesões por pressão, seja pelo trauma em si, queimaduras, acometimento de pacientes por politraumas que ficam um longo tempo de permanência. “O Closer to Zero vai nos ajudar muito a qualificar os nossos processos”, estima.

A diretora de Enfermagem do HPS vê na oportunidade de participar do programa, além dos resultados melhores, ter o aprendizado de metodologias tanto de capacitação e acompanhamento de resultados, trabalhar com ferramentas e produtos de altíssima qualidade, como é o caso da linha ALLEVYN® Life.

Sobre a Smith+Nephew

Fundada em 1856 pelo farmacêutico Thomas James Smith, seu sobrinho Horatio Nelson Smith assumiu a gestão do negócio, após a morte do fundador em 1896. Daí o nome Smith+Nephew ou Smith & Sobrinho.

No final da década de 1990, a Smith+Nephew se expandiu para tornar-se um conglomerado de saúde diversificado com operações em todo o mundo, incluindo vários dispositivos médicos, produtos de cuidados pessoais e tratamentos tradicionais e pioneiros de cuidados com feridas.

Em 2001, a Smith+Nephew tornou-se membro constituinte do índice FTSE-100 no Reino Unido. Isso significa que a companhia está incluída nas 100 maiores empresas negociadas na Bolsa de Valores de Londres medidas em termos de capitalização de mercado.

Por: Carolina Lara / Foto Ilustrativa: Freepik

Comentários estão fechados