Artigos – Edição 06

Terapia de Compressão Multicamadas “Urgo k2”:uma inovação no tratamento clínico contemporâneo das úlceras flebopáticas dos membros inferiores

1

Estudos observacionais brasileiros demonstram que 1,5 a 2,6% dos pacientes com insuficiência venosa crônica dos membros inferiores apresentam úlceras flebopáticas que resultam em muito sofrimento, além de um grande problema sócio-econômico e de saúde pública. A aplicação da terapia compressiva nos membros inferiores é de fundamental importância para a rápida cicatrização dessas úlceras, associada ao tratamento dos pontos de refluxos venosos. Atualmente, existem evidências científicas que confirmam a eficácia dos dispositivos de compressão que utilizam múltiplas camadas, associando ataduras de compressão de curto e de alto estiramento e que são consideradas como padrão-ouro para o tratamento não-invasivo das úlceras flebopáticas dos membros inferiores. Este artigo descreve os conceitos científicos para o melhor entendimento da fisiopatologia das úlceras e do modo de ação da terapia de compressão multicamadas, finalizando com um relato de caso que utilizou a compressão multicamadas de duas camadas.

Para assinar a revista Feridas, clique aqui!


Relato de experiência: desbridamento de feridas com uso da solução Ringer Lactato

A etiologia da úlcera por pressão ainda não está totalmente esclarecida, mas é sabido que a pressão contínua sobre a pele leva a fenômenos isquêmicos associado a deficiência de nutrientes e conseqüentemente necrose tecidual. As úlceras podem se desenvolver em áreas onde existe pressão sobre proeminências ósseas, tais como o sacro, ísquio, trocânter, ou menos freqüentemente calcâneo, região occipital, o dorso do pé, o maléolo e a patela. Localizações mais frequentes: isquiática (24%), sacrococcígea (23%), trocantérica (15%), e calcânea (8%). Outras localizações incluem maléolos laterais (7%), cotovelos (3%), região occipital (1%), e região escapular. (cannor, 2005). Estudos tem demonstrado que os custos relacionados ao tratamento de pacientes com úlceras por pressão são significativamente maiores que os custos gerados por medidas preventivas básicas. O custo total do tratamento de uma úlcera por pressão em paciente internado pode variar entre 2.000 e 70.000 dólares por úlcera. Além disso, a existência de uma úlcera por pressão constitui um fator de risco para óbito no paciente internado, e aumenta o tempo de internação. Nos EUA, entre 1990 a 2001, de todas as mortes reportadas no país, 0,4%, ou 114.380 mortes, foram relacionadas a úlcera por pressão.(Catania, 2007, Fife, 2001, Sackley, 2008, Mustoe, 2006).
Este estudo trata-se de um relato de experiência de uma enfermeira dermatologista de uma rede privada de São Paulo que utilizou Solução de Ringer Lactato para o desbridamento de Ulcera por Pressão, relatando a eficácia e rapidez em relação ao uso de outros desbridantes já existentes no mercado como: Hidrogel, (Nugel®, Saf-gel®, Prurilon®, Suprasorb®) – utilizado para para amolecer e hidratar aréas necróticas ou desvitalizadas, facilitando remoção
das mesmas, estimulando tecido de granulação e epitelização; papaína – desbridamento de tecidos desvitalizados; ringer lactato – é composta de Cloreto de Calcio, Cloreto de Sódio, Cloreto de Potássio e lactato de sódio, não temos estudos sobre a sua ação em feridas apenas estudos sobre a função intravenosa, a não ser relato da presença do ringer em um curativo fabricado na Alemanha pela empresa Hartman chamado Tender Wet, na Alemanha é usado também para desbridamento de tecidos devitalizados, porém seu custo é muito alto. Em contrapartida o uso do Ringer Lactato Solução tem o mesmo efeito com menor custo benefício. O Paciente foi acompanhado durante 30 dias sendo realizados curativos diários hospitalizados, mesmo com a dificuldade da baixa proteína por conta da Insuficiência Renal e sessões de hemodiálise tivemos ótimos resultados mesmo após a alta foi orientado a família em principal a filha para manter os curativos diários em casa teve total cicatrização após 45 dias com o uso apenas da Solução de Ringer Lactato.

Para assinar a revista Feridas, clique aqui!


O que falar e estimar sobre o tema feridas, idade e Brasil

3

Temos uma população em crescimento e em processo de envelhecimento, trazendo a experiência de vida muitas vezes associada ao decréscimo na qualidade de vida na terceira idade pela vinculação a uma doença crônica não transmissível (diabetes, hipertensão arterial sistêmica, dislipidemias por exemplo) mas também por serem portadores
de feridas crônicas e cronificadas, as quais os deixam escravizados por anos, até mesmo décadas sem a resolução de seus problemas. Um alerta para os fatores de interferência no processo cicatricial.

Para assinar a revista Feridas, clique aqui!

Comentários estão fechados