Organização Mundial da Saúde lança estratégia global de controle da influenza

A fim de prevenir a influenza (gripe) sazonal, controlar a disseminação da gripe dos animais para os seres humanos e se preparar para próxima pandemia, a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou nesta segunda-feira, 11, uma estratégia global de controle de influenza para o período de 2019-2030. Segundo o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, “a ameaça da gripe pandêmica está sempre presente”. “O risco contínuo de um novo vírus da influenza transmitindo de animais para humanos e potencialmente causando uma pandemia é real. A questão não é se teremos outra pandemia, mas quando. Precisamos estar vigilantes e preparados – o custo de um grande surto de gripe superará em muito o preço da prevenção”, alerta.

A influenza continua sendo um dos maiores desafios de saúde pública do mundo. A cada ano, no mundo, estima-se que haja um bilhão de casos, dos quais de três a cinco milhões são casos graves, resultando em 290 mil a 650 mil mortes por doenças respiratórias relacionadas à influenza. A vacinação anual contra a gripe é a maneira mais eficaz na prevenção da doença segundo aponta e recomenda a OMS.

A nova estratégia visa traçar um caminho para proteger as populações todos os anos e ajudar na preparação para uma pandemia por meio do fortalecimento dos programas de rotina. Seus dois objetivos principais são: construir nos países capacidades mais fortes de vigilância e resposta a doenças, prevenção e controle, bem como preparação. Para alcançar isso, faz um chamado para que todos os países tenham um programa de influenza adaptado, que contribua para a preparação nacional e global, assim como para a segurança da saúde. E desenvolver melhores ferramentas para prevenir, detectar, controlar e tratar a gripe, a exemplo de vacinas, antivirais e tratamentos mais eficazes, com o objetivo de torná-los acessíveis a todos os países.

“Com as parcerias e o trabalho específico de cada país que temos feito ao longo dos anos, o mundo está melhor preparado do que nunca para o próximo grande surto, mas ainda não estamos preparados o suficiente”, disse Tedros. “Esta estratégia visa nos levar a esse ponto. Basicamente, trata-se de preparar sistemas de saúde para manejar choques. E isso só acontece quando os sistemas de saúde são fortes e saudáveis”.

Para implementar com sucesso essa estratégia, parcerias eficazes são essenciais. A OMS expandirá parcerias para aumentar a pesquisa, a inovação e a disponibilidade de novas e aprimoradas ferramentas globais de influenza para beneficiar todos os países. Ao mesmo tempo, a OMS trabalhará em estreita colaboração com os países para melhorar suas capacidades de prevenção e controle da influenza.

Fonte: Com informações da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

 

Comentários estão fechados