Referência em transplantes de órgãos no Rio de Janeiro, Hospital São Francisco na Providência de Deus celebra Dia Nacional da Doação de Órgãos com programação especial

Entre os dias 25 e 29 de setembro, o Hospital São Francisco na Providência de Deus (HSF), no Rio de Janeiro, contou com programação especial para celebrar o Dia Nacional da Doação de Órgãos. A instituição que, apenas no primeiro semestre deste ano, foi responsável por cerca de 36% dos transplantes de fígado e aproximadamente 70% dos transplantes de rim do estado do Rio, abriu a programação com uma cerimônia que contou com concerto de harpa e a participação de doadores e de toda equipe de transplantes do Hospital.

“Durante essa semana, vamos homenagear os doadores e todos aqueles que permitem que os transplantes aconteçam. Vamos concretizar nossa gratidão aos profissionais do HSF por todo o trabalho, debater sobre o futuro dos transplantes, apresentar resultados e homenagear pessoas que são a representação do que acontece diariamente nos corredores, nos leitos, no Centro Cirúrgico, na limpeza, no atendimento aos nossos pacientes. E, assim, poder dizer que o milagre da vida está dentro de você”, afirmou o diretor do HSF, Frei Paulo Batista, em seu discurso de abertura.

O dia 26 foi marcado pelas palestras dos médicos da equipe de transplante hepático do Hospital, Dr. Felipe Melo e Dra. Samanta Basto, que explicaram como o serviço funciona no HSF. O coordenador da Organização de Procura de Órgãos (OPO-Norte), Dr. Antônio Justo, também falou para os presentes e mostrou como o trabalho da Organização, inaugurada em 2014 no HSF, auxilia a aumentar o número de transplantes. “Fazemos um trabalho de busca ativa, procurando por possíveis e prováveis doadores de órgãos. Também fiscalizamos a documentação, fazemos a entrevista familiar e o aspecto logístico, como agendamento do Centro Cirúrgico e envio de material para exames para ver compatibilidade”, explicou.

No Dia Nacional da Doação de Órgãos (27), o coordenador do Programa Estadual de Transplantes (PET) da Secretaria Estadual de Saúde (SES), o urologista Gabriel Teixeira, fez um balanço sobre a atuação do Programa e ressaltou o papel do HSF, um dos principais centros transplantadores do estado. O trabalho de captação e transporte dos órgãos também foi destacado com uma homenagem a três oficiais do Corpo de Bombeiros que pilotam o helicóptero da SES, destinado exclusivamente a essa atividade. “Estar aqui hoje foi fundamental para entendermos melhor o que acontece no serviço de transplante de órgãos, além do transporte. Foi muito bom ver o que a gente proporciona com o trabalho em equipe”, disse o Tenente-coronel Fábio Braga.

O quinto dia de evento foi voltado para os transplantes renais, com a apresentação por membros da equipe, Dra. Patrícia Finni e Dr. Ricardo Ribas, dos resultados do trabalho desenvolvido no HSF, que, por exemplo, mantém a taxa de isquemia (prazo entre a retirada do órgão do doador e o seu implante no receptor) em até 18 horas, abaixo da recomendada pelo Ministério da Saúde, até 48 horas. Convidado especial, o nefrologista e diretor superintendente do Hospital do Rim de São Paulo, Dr. José Osmar Medina de Abreu Pestana, falou sobre os benefícios do transplante de órgãos e ressaltou a relevância do Hospital neste cenário: “O HSF está entre os quatro maiores centros transplantadores de rim do Brasil e é o que mais faz transplante no Rio de Janeiro. A importância do trabalho desenvolvido é visível quando olhamos para os números alcançados e para organização da equipe”.

Encerrando as comemorações, o arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, celebrou missa em Ação de Graças pelos doadores e familiares. “Aos 13 anos, fui diagnosticada com a síndrome de Alport, que provoca a perda progressiva da função renal e auditiva. Há cinco anos, entrei em diálise peritoneal e na fila para transplante. Meu sogro acabou sendo o doador. Fiquei 22 dias internada e tive um início de rejeição, mas os médicos entraram com a medicação e agora já estou bem, fazendo exercício quatro vezes por semana, dançando e com uma alimentação saudável”, conta Gabriela da Rocha Bevelacqua, de 32 anos, uma das receptoras a receber a benção do Cardeal.

Inaugurado em fevereiro de 2013, o serviço já realizou 883 transplantes renais e 374 hepáticos no Hospital São Francisco na Providência de Deus, totalizando 1.257 transplantes até agosto do corrente ano.

Comentários estão fechados