Ação educativa sobre câncer de mama movimenta cinco capitais do País em outubro

Estações de metrô, terminais de trem e centenas de táxis vão levar mais informação sobre a doença para a população
Ingerir bebida alcoólica aumenta o risco de câncer de mama? Se o diagnóstico é precoce, a doença não progride para outras partes do corpo? Essas e outras dúvidas ainda são comuns no País, mesmo com o avanço das discussões sobre o câncer de mama nos últimos anos. Por isso, pelo segundo ano consecutivo, o Instituto Oncoguia e a Pfizer estabeleceram uma parceria para levar informação de qualidade à população durante o Outubro Rosa, movimento internacional de conscientização sobre a enfermidade.
Batizada de SAÚDE SEM MISTÉRIO – 10 MITOS SOBRE O CÂNCER DE MAMA, a iniciativa vai mobilizar estações de metrô, terminais de trens e outros locais movimentados de cinco capitais brasileiras:  São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Porto Alegre. Além disso, na capital paulistana, mais de 800 táxis vão participar da iniciativa, que também vai contar com a adesão voluntária de celebridades-surpresa, como motoristas ou passageiras. Assim, durante todo o mês de outubro, o paulistano que utilizar os carros da campanha terá a chance de encontrar alguma personalidade ao volante.
A ideia é que os passageiros, tanto nas plataformas de transporte público quanto nos táxis, possam testar seus conhecimentos sobre a doença por meio de um quiz interativo composto por dez questões relacionadas ao câncer de mama. Nos carros, esse teste estará disponível em uma tela touch screen instalada na face posterior do banco dianteiro, de frente para o passageiro.
Nas plataformas de transporte público, o quiz estará em uma tela touch screen acoplada a uma promotora, ou touchwoman, que vai caminhar pelos locais e interagir com o público, convidando a população a saber mais sobre o câncer de mama. Todos os participantes da inciativa, tanto nos carros como nos terminais, receberão um folheto educativo com explicações sobre os 10 principais mitos associados à doença.
Percurso
São Paulo será a primeira capital do País a receber o touchwoman. O dispositivo vai circular pela Estação Sé no dia 3 de outubro, das 10h às 16h, e estará na Estação Paraíso no dia seguinte, no mesmo horário. Na segunda semana do mês, a iniciativa desembarcará no metrô de Belo Horizonte (Minas Gerais), para ações nos dias 9 e 10, também das 10h às 16h, nas estações Central e Vilarinho, respectivamente. Ao longo das outras semanas de outubro a campanha se estenderá para os trens da capital do Rio de Janeiro e para os terminais em Brasília, no Distrito Federal. Também estão previstas iniciativas em locais com grande fluxo de pessoas em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.
Resultados
Os metrôs de São Paulo receberam o quiz móvel sobre câncer de mama promovido pela parceria entre Pfizer e Oncoguia já em 2016, pela primeira vez, também durante o Outubro Rosa. Na ocasião, 270 entrevistados responderam às questões e os resultados desses testes reforçaram a necessidade de continuar a levar mais informações sobre a doença para a população.  Apenas 4% das paulistanas que participaram do quiz no ano passado reconheceram, por exemplo, que a mamografia é um dos principais exames para identificar precocemente o câncer de mama.
 
Campanha global
A ação educativa SAÚDE SEM MISTÉRIO – 10 MITOS SOBRE O CÂNCER DE MAMA faz parte da campanha global Cada Minuto Conta, uma iniciativa desenvolvida pela Pfizer em parceria com a União Latino-americana Contra o Câncer da Mulher (Ulaccam), com o objetivo de aumentar o conhecimento público sobre a doença, esclarecer mitos e expandir as discussões sobre o tema com toda a sociedade.
“Durante o Outubro Rosa todas as atenções se voltam para o câncer de mama, momento ideal para aprofundar as discussões a respeito da doença no Brasil. É preciso iniciar uma nova fase no movimento contra o câncer de mama, fomentando um espaço em que todas as pessoas que vivem com a doença, seja na fase inicial ou na metastática, possam ser igualmente acolhidas”, afirma o diretor médico da Pfizer, Eurico Correia.
O diagnóstico precoce é importante para reduzir o risco de metástase em mulheres com câncer de mama, mas até 30% das pacientes evoluem com progressão da doença e aparecimento de metástases mesmo que a enfermidade seja detectada precocemente1. “Se no passado as perspectivas eram limitadas para essa paciente, hoje já existem medicamentos que podem controlar a doença por vários anos, mesmo quando ela é diagnosticada em um estágio avançado. Os eventos adversos também são mais brandos, preservando a qualidade de vida da paciente”, completa Correia.
 
A doença
O câncer de mama é o tipo de tumor mais comum entre as mulheres, tanto no Brasil como no mundo, respondendo por 22% dos novos casos de câncer no País a cada ano, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA). Em países em desenvolvimento como o Brasil, um maior número de pacientes recebe o diagnóstico da doença em uma fase já avançada. Os dados mais atualizados do INCA sobre esse problema são de 2013, quando 14.388 pessoas morreram no País por causa da doença. Na América Latina, a cada ano, são diagnosticados 150 mil novos casos de câncer de mama metastático, dos quais mais de 40 mil evoluem para o óbito2
 
 
Pacientes com câncer de mama ganham manual e guia de consultas personalizado
Publicado pela Pfizer em parceria com a União Latino-Americana de Combate ao Câncer da Mulher, o material é destinado às pacientes com a doença em estágio avançado
Neste Outubro Rosa, além de promover ações de conscientização sobre o câncer de mama em parceria com o Instituto Oncoguia, a Pfizer participa do lançamento de três publicações especialmente voltadas para as mulheres que convivem com a doença em estágio avançado: o guia Meu médico e Eu, o folheto Tópicos da conversa com meu médico e o manual Eu e o Câncer de Mama Metastático. O desenvolvimento do kit foi realizado juntamente com a União Latino-Americana de Combate ao Câncer da Mulher (Ulaccam), com a participação de mais de vinte grupos de pacientes de nove países latino-americanos, entre eles o Brasil.
A ideia de elaborar materiais direcionados às pacientes com câncer de mama metastático (CMM) surgiu a partir dos resultados do Informe Global sobre Câncer de Mama Metastático – Relatório de uma década/2005-2015, o primeiro trabalho mundial com foco nos cuidados para as pacientes com a doença em estágio avançado, realizado com uma amostra de 34 países¹. O documento, divulgado em 2016 e elaborado pela Pfizer em parceria com a Escola Europeia de Oncologia, confirmou que a doença metastática é percebida de forma equivocada, na comparação com o tumor em estágio inicial, indicando que essas pacientes se sentem isoladas dentro da própria comunidade oncológica.
“A Pfizer está empenhada em continuar a trabalhar e impulsionar iniciativas que tenham um impacto positivo na qualidade de vida de pacientes com câncer de mama metastático. Neste trabalho, contamos com a colaboração de oncologistas e grupos de pacientes, por isso estamos orgulhosos de fazer parte desse projeto”, afirma o diretor médico de Oncologia da Pfizer para a América Latina, Luis Alberto Suarez.
O kit tem o intuito de esclarecer as principais dúvidas e preocupações das pacientes que convivem com o CMM, oferecendo sugestões que possam enriquecer as consultas com seus médicos. Essas mulheres poderão receber o material por meio das associações de pacientes. No Brasil, contribuíram para a elaboração do kit o Instituto Oncoguia, a Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale) e Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama).
Além de oferecer apoio às pacientes com CMM, o novo material também pode funcionar como uma importante ferramenta para disseminar informações sobre a doença para o público em geral, promovendo o diálogo sobre esse tipo de tumor com toda a sociedade. Por isso, o kit também será distribuído ao longo das ações de conscientização promovidas pela Pfizer e pelo Instituto Oncoguia nas plataformas de transporte público de cinco capitais brasileiras, durante todo o mês de outubro.
As três peças que compõem o kit são complementares.  O guia “Meu médico e eu”, por exemplo, ajuda as pacientes a se prepararem para suas consultas, trazendo uma lista de mais de 45 perguntas que devem ser discutidas com os médicos. O folheto “Conversando com o meu médico”, por sua vezoferece dicas para melhorar a comunicação com o profissional de saúde. Já o manual “EU e o Câncer de Mama Metastático”, com 48 páginas, aborda seis temas principais relacionados à doença, como forma de oferecer uma visão holística a respeito da enfermidade, contemplando aspectos que vão além da saúde: emoções, trabalho e relacionamentos, por exemplo.
Iniciativa global
O kit, apresentado pela primeira vez neste ano, durante o Encontro Latino-Americano de Pacientes com Câncer de Metastático, em São Paulo, passou pela revisão e aprovação de 20 grupos de pacientes de nove países latino-americanos: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guatemala, México e Peru.  A publicação desses materiais também faz parte da campanha global Cada Minuto Conta, uma iniciativa firmada entre a Pfizer e a Ulaccam que tem o objetivo de aumentar o conhecimento sobre o câncer de mama metastático e esclarecer os mitos a respeito da doença.

Comentários estão fechados