11º Congresso Brasileiro Nursing apresenta palestra sobre Alteração do sono no envelhecimento: insônia e apneia do sono

Uma boa noite de sono é essencial para acordar disposto e com energia. É durante o sono que o corpo se recompõe, processa e armazena o que foi aprendido durante o dia e entre outros benefícios. Ao longo da vida, a quantidade necessária de sono de uma pessoa pode sofrer alterações. A National Sleep Foundation (Fundação Nacional do Sono) dos Estados Unidos aponta que um recém-nascido de 0 a 3 meses pode ter uma média de sono de 14 a 17 horas por dia. Um jovem adulto e um adulto têm uma média de 7 a 9 horas por dia. A partir dos 65 anos, a média de sono fica de 7 a 8 horas por dia.

O envelhecimento está associado a alterações fisiológicas, resultando em mudanças na qualidade e quantidade de sono, com a superficialização e fragmentação do sono, tendo como principais alterações a insônia e apneia do sono.

A fisioterapeuta e doutora em ciências da saúde, Mayra dos Santos, irá discutir sobre os riscos que essas alterações podem causar na palestra “Alteração do sono no envelhecimento: insônia e apneia do sono”.  Mayra alerta sobre como a restrição crônica do sono está associada ao risco de desenvolvimento obesidade, intolerância à glicose, hipertensão, diabetes, metabolismo síndrome e doença cardíaca, o que leva a um aumento da mortalidade.

A palestra “Alteração do sono no envelhecimento: insônia e apneia do sono” será realizada no dia 26 de setembro, às 16h30, no Auditório Nursing, Hotel Transamerica, em São Paulo.

Confira mais informações sobre o 11º Congresso Brasileiro Nursing no site: http://revistanursing.com.br/Congresso/

Comentários estão fechados